Últimas Notícias

Aproximar produtos, produtores, chefs e cozinheiros do público. Aqui o Projeto Aproxima traz o que acontece no dia a dia do campo, nas cozinhas dos melhores estabelecimentos de Minas Gerais e apresenta os principais movimentos que buscam valorizar nossa gastronomia.

Confira as notícias mais importantes daqueles que fazem parte do Projeto Aproxima e como eles trabalham diariamente com o cultivo e com a transformação dos melhores produtos mineiros.

Mercado de produtos regionais como alternativa de negócios potencializada por feiras gastronômicas itinerantes

Mercado de produtos regionais como alternativa de negócios potencializada por feiras gastronômicas itinerantes

Terroir Central

01 . dez . 2016

Por Danielle Fantini Lima Santos

No cenário atual, com a disseminação de uma mentalidade sustentável nas novas gerações e modificação na dinâmica das relações humanas, o segmento da alimentação vem sofrendo transformações por meio do surgimento de novos padrões de consumo. Sendo assim produtos com Identidade e Origem são parte de uma tendência mundial na qual novos consumidores buscam exclusividade, alimentos sustentáveis, a preocupação com a saúde, a vontade de descobrir produtos regionais e resgatar receitas tradicionais de cozinha.

Estas tendências tendem a crescer cada vez mais. Esses produtos normalmente são influenciados por um conjunto de características típicas de uma determinada região – como clima, relevo, solo, pastagem, água, entre outros –, que diferenciam os mesmos tipos de produtos feitos em lugares diferentes, como o queijo e a cachaça, por exemplo.

Podemos citar como exemplo de produtos com apelo regional o queijo da região da Canastra, o queijo do Serro, a cachaça de Salinas, o pé de moleque de Piranguinho e a goiabada de Ponte Nova. Todos estes produtos carregam muita história, dos produtores, das suas tradições, dos produtos e suas regiões o que é um dos atrativos dos produtos com identidade e origem. E isso, vende!

A simplicidade das pessoas do campo, os produtos artesanais, o saber fazer único de cada região são elementos que levam os novos consumidores a se conectarem com uma história que vem se perdendo ao longo do tempo.

Minas Gerais, por sua tradição gastronômica, altamente relacionada com as diversas regiões do estado é um grande ofertante destes produtos e possui um grande número de produtores rurais, associações e microempresas que atuam neste segmento. Algumas destas agroindústrias já possuem canais de comercialização consistentes, vendendo os seus produtos com certa facilidade. Em outros casos a comercialização se dá de forma tímida, porta a porta, boca a boca, levando a um quadro de baixa competitividade.

Como tais produtos podem chegar aos consumidores? Quais são os possíveis caminhos? Como podemos conectar o rural ao urbano?

Atualmente, existem várias formas interessantes de promoção destes produtos no mercado. Podemos citar como exemplo, a abertura de lojas especializadas, a revitalização de espaços públicos buscando a valorização de regiões e, principalmente, o movimento das feiras gastronômicas itinerantes.

Estes movimentos surgem como alternativa para a promoção e divulgação destes produtos e, desde 2012, vêm ganhando espaço pelo Brasil. Nas grandes cidades já acontecem várias feirinhas gastronômicas onde se encontra uma variedade enorme de produtos e sabores.

Esses eventos são um conjunto de barraquinhas que vendem comidas e produtos regionais. Normalmente, a comida é de ótima qualidade, o lugar é limpo, os chefs são renomados por seus pratos e a diversidade dos produtos é grande. Na maioria das vezes o atendimento é feito pelos próprios produtores, trazendo para o consumidor um pouco de história e experiência.

Essa conexão é valorizada, pois as pessoas estão muito mais conscientes e informadas com relação à comida, de onde ela vem, como é produzida e como afetará sua saúde, qual história está por trás do que elas compram. São pessoas buscando produtos com raízes, história, o artesanal e o exclusivo. Nestes ambientes a convivência com as pessoas é valorizada tanto pelos visitantes como também pelos organizadores, que priorizam mesas e ambientes de uso coletivo.

Além da venda direta para o consumidor final, essas feirinhas podem ser uma grande vitrine para apresentação, lançamento e difusão de produtos e marcas dos produtores e regiões, para lojas, supermercados, restaurantes. Na maioria das vezes, a participação em feiras contribui muito para alavancagem financeira das empresas e dos produtores. Além das oportunidades de negócios geradas nestes eventos, a margem de lucro por produto pode ser mais atrativo para os produtores.

Outro recurso importante, são as mídias espontâneas disponibilizadas para os expositores que participam destas feiras. A maioria das feiras possuem suas redes sociais e consequentemente muitos seguidores que ajudam na multiplicação e disseminação de marcas e produtos. Para os participantes, a disseminação da imagem junto a sociedade pode ser caracterizada como uma forma de divulgação “longe” de ser precificada. Para o participante esta exposição e divulgação da marca não tem custo.

Esse é um movimento crescente que deve continuar gerando oportunidades de negócios para agroindústrias, produtores e micro e pequenas empresas. O importante é valorizar a origem, a história, a qualidade e sua identidade!!!

____________________
Danielle Fantini Lima Santos é Analista Técnico – Unidade de Agronegócios / Sebrae Minas